Redação

Redação

Tempo de leitura: 1 minuto

A Prefeitura de São Pedro da Aldeia, por meio da Secretaria de Educação, vai realizar o projeto “13 de maio, abolição não concluída” nesta quinta-feira (10), às 9h, no Centro de Formação Continuada Professora Ismênia Trindade dos Santos (CEFOR). O evento é coordenado pela Diretoria de Políticas Públicas de Promoção da Igualdade Racial (DIPPPIR).

De acordo com o diretor da DIPPPIR, professor Sérgio Rodrigues, o objetivo do projeto é despertar o interesse em debater, não somente a abolição daescravatura no Brasil, mas também a situação dos negros e seus descendentes. “Pensamos no projeto ‘13 de maio, abolição não concluída’ para sanar dúvidas ou aguçar o desejo em conhecer um pouco mais do tema e poder, a partir dele, ter um olhar crítico e até mesmo participar da luta por uma sociedade mais justa e igualitária com fraternidade e sem ódio”, disse.

A programação é composta por momentos culturais, com apresentações de dança feita pelos alunos da Escola de Artes Municipal, e uma sequência de palestras. Alunos de unidades escolares municipais, estaduais e particulares foram convidados.

A primeira palestra do dia será ministrada pelo advogado e militante do Movimento Negro do município de Cabo Frio, Leandro de Oliveira, que abordará o tema “Direitos afro-brasileiros no Brasil”. Em seguida, será abordado o tema “Avanços sociais da população negra no Brasil”, com a advogada e militante do Movimento Negro Unificado, Ilana Barreto.

Finalizando a programação de palestras, o advogado e coordenador da Comissão Estadual de Reparação da História da Escravidão no Brasil, Marcelo Dias, levantará a questão “Relatório da Comissão da Verdade sobre a Escravidão no Brasil”. Encerrando o projeto, será aberto o momento de debate com o público presente.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os Termos de uso, denuncie. Leia a Política de comentários para saber o que é impróprio ou ilegal.