Redação O Canhão

Redação O Canhão

Jornalismo
Tempo de leitura: 2 minutos

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou nesta terça-feira (13) dois aumentos nas contas de luz dos consumidores do estado do Rio de Janeiro. Os clientes da Light terão uma alta de 11,52% nas tarifas residenciais. Já as contas de luz dos consumidores residenciais da Enel Rio terão um aumento médio de 9,72%. As altas começam a valer a partir da próxima sexta-feira (15). Para os consumidores industriais da Light, o reajuste médio será de 10,2%. Esse grupo de consumidores da Enel Rio terá uma alta de 9,65% nas suas tarifas.

A falta de chuvas e o baixo nível nos reservatórios das hidrelétricas registrados no ano passado contribuíram para a alta nas tarifas em 2019. Sem chuvas, foi preciso acionar mais usinas térmicas (que são mais caras) para garantir o suprimento. Parte dessa conta adicional ficou para ser paga neste ano. De acordo com o diretor geral da Aneel, André Pepitone, o custo da aquisição de energia está alto, segundo ele, o problema é o custo.

Só de subsídios que cobrem programas do governo no setor elétrico, como o Luz para Todos e descontos nas tarifas para usuários de baixa renda, os clientes de todo o Brasil pagarão R$ 17 bilhões nas contas de luz em 2019. As altas do custo de distribuição também foi outro fator que pesou para o reajuste da Light. A concessionária atende a 4 milhões de clientes localizados em 31 municípios do Rio de Janeiro, principalmente na região metropolitana.

Foto/Divulgação: Jornal Extra

No caso da Enel, também pesou na tarifa um novo cálculo de percentual de perdas não-técnicas, que são os furtos de energia, o famoso “gato”. Os percentuais foram decididos pela Aneel nesta terça-feira (13). O órgão define um índice de furtos considerado aceitável, valor que é pago pelos consumidores. A partir desse percentual, as perdas entram como despesa da distribuidora.

A Enel alega que não consegue entrar nas áreas de risco de segurança para fazer reparos na rede e fiscalizações. Por isso, para empresa, o índice de perdas para 2019 foi estabelecido 19,8%. O reajuste também foi impactado pela alta custos para compra de energia. A Enel Distribuição Rio, com sede em Niterói, atende a 3,1 milhões de clientes residenciais, comerciais, industriais e públicos no estado. É uma população de 7,8 milhões de pessoas, distribuídas em 66 municípios fluminenses, incluindo, além de Niterói, Região dos Lagos e Norte Fluminense.

De acordo com a diretora da Agência Nacional de Energia Elétrica, Elisa Bastos, as contas de luz estão altas e o governo precisa fazer um esforço para abaixar esses valores. Segundo ela, essas altas devem ser contidas, porém, esse empenho não pode ser só da Aneel, mas também dos governos estaduais e federais. Para o representante do conselho de consumidores da Enel, Fabiano Silveira, esse reajuste é prejudicial, pois quanto maior for o reajuste, maior será a inadimplência, por conta da capacidade financeira da população de arcar com o valor das faturas.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os Termos de uso, denuncie. Leia a Política de comentários para saber o que é impróprio ou ilegal.